Contact us:

Any question, comment or suggestion? Please don't hesitate to contact us.


Madrid
Spain

+34 658572837

Enjoy the best parties around the world with all the confort and making new friends

Disfruta las mejores fiestas del mundo con todo el confort y nuevos amigos

Aproveite as melhores festas do mundo com o máxico de conforto e novos amigos

 

Blog do Diogo

Blog com dicas de festas, viagens e próximas edições da The Mansion.

Nós gays, uma crônica

Diogo Marques

Foto: Main Party do selo WE, Fabrik Madri

Foto: Main Party do selo WE, Fabrik Madri

Ufa, acabou a semana da Parada Gay da cidade mais festeira do mundo. Há dois slogans para definir Madri. O oficial, curto, contundente e intenso, como os madrilenos, diz: 
!Madrid!. Significa isso mesmo: BOOOOOM, uma bomba, Madri! O outro, espalhado pela cidade, nome de bares e ilustração em souvenir, anuncia: “Madrid me mata”. É bem realista e preciso, pode acreditar.
Vivi aqui quase dois anos, me ausentei um, e estou de volta para me surpreender não somente com o lugar que mais me fascina no mundo, mas também com a diversidade gay. E sobre a nossa fauna e flora seguem essas linhas.
Meus poucos amigos sabem: conheço muitos, aproximo-me de poucos, adoro andar sozinho. Andar, sair, viajar, dançar…Sempre fui assim. Talvez porque goste de fazer as coisas ao meu ritmo, talvez porque não saiba lidar bem com o diferente, talvez porque ao morar sozinho por muitos anos e em muitos lugares, basto-me.
Minha nova chegada a Madri, numa semana em que o mundo gay parecia estar todo na cidade, deu-me pistas de que é um bom caminho. Faz somente 20 dias, mas já rende um livro pré-escolar. Primeiro dia, contentíssimo, emocionado, trago conhecidos à casa onde estou hospedado e, horas depois, ao acordar, um soluço: 200 euros a menos na carteira. 
Não se trata de gays ou de brasileiros, mas de más escolhas mesmo. Bem, a má-fama dos cidadãos era patente, contaram-me depois. Mas aí vem a pergunta: como poderia saber?
Ilustro: em algumas horas, sobre um mesmo ser-humano, com que casualmente andava, ouvi pelo lado direito maravilhas; pelo esquerdo, que era um gângster; escutei pelos dois ouvidos que traiu-o-namorado-de-A-com-o-melhor-amigo-de-B. Detalhe: isso enquanto eu andava com a pessoa e encontrava interlocutores no caminho. Segue a vida.
Procurando casa para compartilhar, fui a uma entrevista que parecia auspiciosa. Casa cômoda, espaçosa, bem-localizada. O dono deu a entender que seria eu mesmo o inquilino. Alguns dias depois, pelo whatsapp, 6h30, confidências: "bom-dia, estou saindo para trabalhar e meu roomamate está fazendo uma orgia. Estou puto. Você não faz orgia, né?". Esse cidadão de repente desapareceu.
Enquanto isso, um latino com seus cerca de 25 anos, que andou postando umas fotos numa ilha da qual eu nem sabia da existência, perguntava se eu podia emprestar 100 euros. Era colega de academia. Não, não posso.

Foto: Locais e turistas festejam o Orgulho Gay em frente à Prefeitura de Madri

Foto: Locais e turistas festejam o Orgulho Gay em frente à Prefeitura de Madri

Na festa cinematográfica da semana gay, muita gente fazia o que se deve fazer numa festa: divertir-se sem dor de consciência, mas fiquei abismado quando vi um desses conhecidos de todas as festas, lindo, bem-sucedido e, ao meu ver, bem-resolvido, ter uma crise de choro.
Entre uma WE Party — a The Week daqui — e outra, academia lotada, impressões diferentes sobre a cidade, sobre os homens e sobre as festas: “estou achando os homens daqui muito devagar”, dizia um brasileiro. “Não posso reclamar de Madri”, contava outro, radiante. Alguém disse que preferia Barcelona. Madrid é mais chique…
Em meio a tudo isso, divertia-me ao ser quase interrogado por um estonteante belga sobre o porquê eu tinha um iPhone 4S. Ele me perguntava enquanto eu compartilhava o contato de um dealer. Thank you, guapo.
Voltamos à festa. Dessa vez, fui cercado por uma travesti que perguntava se eu “fazia por dinheiro”. Era muito dinheiro, dizia ela, apontando para o potencial cliente. Eu disse que acreditava ser um bom jornalista, mas conhecia, huuuum, uns 50 profissionais do sexo. No judgments, risinhos tortos, bailinho animado.
Em meio ao tiroteio, havia um curto-circuito nas redes sociais. Na da câmara que recém-mudou de logo, uma disputa por mais likes, e alguns que se apresentavam ou apresentavam seus amigos como “os populares do Instagram”. Parece que depois dos 30, tudo faz mais sentido. Ou será dos 40? Do outro lado, o obscuro, ou as redes-sociais-dos-finalmentes, nada de cabeça, mas uma carniceria de peitos de todos os tamanhos e larguras. Segredo e mistério para todos que esperam o mesmo de um sábado à noite. Ah, O Sruff é super forte na Espanha, anotem aí. 
Senhoras e senhores, é tudo muito divertido, mas é bom não levar as coisas muito a sério. Amizades se desmancham, amores se rompem, nervos afloram, verdades desabam, resta pouca coisa.
Idas e vindas, e foram muitas, sobra uma certeza: se amizades verdadeiras e duradouras se constroem, é melhor que seja num ambiente claro, neutro, sem a ajuda — ou atrapalho — químico. Essas têm mais chance de germinar e, felizmente, brotar.
Eu sigo entro
Eu sigo entre muitos, mas só, rindo por dentro ao escutar a frase de sempre ao final da aventura de dias: “ah, como eu queria um namorado”. Trata-se dos nós, esses de cordas, gays. 
Desmanche-os se for capaz.
ps.: por favor não entendam esse texto como uma crítica ao ambiente de circuit-party, do qual participo. É apenas uma crônica escrita em uma só toada na madrugada madrilenha.

XLsior Mykonos lança programação completa!

Diogo Marques

O XLsior lançou hoje a programação completa do festival, que este ano ano acontece entre 17 a 24 de agosto na ilha grega de Mykonos. De acordo com o programa, serão nada menos que 12 festas - 4 diurnas e 8 noturnas -- comandadas por pelo menos 25 djs. Sim, pelo menos, já que mais nomes devem ser anunciados. 

13442547_10153651196862405_7427967784430828498_o.jpg

De cara, dá para dizer que o festival está cada vez  maior, melhor e mais organizado. Offer Nissim está de volta para abrir a festa, na noite do dia 17 no emblemático Cavo Paradiso, uma das melhores boates do mundo. Esse ano, Offer toca pela primeira vez no Circuit Barcelona -- dias antes -- e no XLsior. A disputa entre os dois festivais faz com que artistas que participem em um geralmente sejam impedidos de estar no outro. Offer se dá ao luxo de ser exceção, já que todos o querem.

13240646_10154856803085961_5400803362605405211_n.jpg

Além do arrassa-quarteirão de Israel, outra ótima supresa é a estréia do dueto Rosabel. Ralph Rosario e Abel fecham uma semana de festas em outro début: a estréia da White Party Miami na Grécia.

Há duas festas --Hell & Heaven e Revolution-- e três djs --Felipe Lira, Rick Braile e Rodolfo Bravat-- escalados.

Falta apenas divulgar os locais das festas, que costumam variar entre os muito bons e os espetaculares.

Cavo Paradiso, XLsior 2015. Em 2016, Offer Nissim abre a festa na boate

Cavo Paradiso, XLsior 2015. Em 2016, Offer Nissim abre a festa na boate

As pulseira de acesso ao festival já estão à venda e custam a partir de 280 euros, o que representa uma média razoável de 23 euros por festa.

A The Mansion, claro, estará presente reunindo a turma mais animada na casa mais sexy da Ilha. Vem com a gente? Reserve já seu lugar clicando aqui. As vagas devem esgotar em breve!

The Mansion Mykonos 2016

The Mansion Mykonos 2016

Offer Nissim lança seu set do ano!

Diogo Marques

Já virou tradição: todo ano, o dj israelense Offer Nissim, a maior e mais cotrovertida estrela da cena gay, lança apenas um set. É sempre em junho, duarante aParada de Tel Aviv, quando Nissim celebra sua música na festa principal do evento que literalmente para a cidade.

Como nos sets anteriores, de 2014 e 2015, "This is Pride 2016" começa lento e alterna momentos de bpms acelerados com outros para dançar coladinho rs. Tem música conclamando as adolescentes a se apoderar do mundo (All-Star Girl Power Anthem); uma homenagem dos Pet Shop Boys ao pop (The Pop Kids);  o vozeirão de Maya -- a musa compatriotra de Nissim -- em "Open Up"; um chamando ao sexo, na popularíssima "Sex"; "Il Mundo", uma batida militar psicodélica -- a minha favorita do show; Led Zeppelin (Whole Lotta Love !!!) e, para não deixar dúvida da veia pop do astro isralense, Michal Jackson (Off The Wall) para fechar o show.

Senti falta do momento latino, quase sempre parte dos sets do dj, e não consegui identificar alguma original que possa repetir o estrondo de "Everybody Needs A Man", de 2014. Assim mesmo, como sempre, aprovado. E você, o que achou?

Ouça o set aqui

Aproveito para lembrar que Offer Nissim é a maior atração do festival XLsior, em Mykonos, na Grécia. Offer abre o festival no dia 17 de agosto no emblemátivo Cavo Paradiso, boate sempre na lista das melhores do mundo. Quer ouvir Nissim ao lado da galera mais bonita do mundo reunida? Fique conosco na The Mansion. Veja aqui os detalhes.

Confira o playlist:

1. Offer Nissim Feat. Dana International - We Can Make It
2. Amelia Lily - You Bring Me Joy (Offer Nissim Remix)
3. Michelle Obama All-Star Girl Power Anthem - This Is For My Girls (Offer Nissim Remix)
4. Offer Nissim Feat. Maya Simantov - Hot Summer Night
5. Pet Shop Boys - The Pop Kids (Offer Nissim Drama Remix)
6. Offer Nissim Presents: Ilan Peled - I'm A Whore Machine
7. Offer Nissim Feat. Maya Simantov - Open Up
8. Billie Ray Martin - The Glittering Gutter (Offer Nissim Remix)
9. Offer Nissim Feat. Zach Adam - You Need My Love
10. Offer Nissim - Sex
11. Offer Nissim Presents: Jimmy Fontana - Il Mundo
12. Offer Nissim Feat. Sarit Hadad - Love You Till I Die
13. Offer Nissim Vs Led Zeppelin - Whole Lotta Love
14. Offer Nissim Vs Michael Jackson - Off The Wall

Pulseiras regulares a todas as festas do XLsior estão esgotadas; participantes da The Mansion têm as suas garantidas!

Diogo Marques

O XLsior Mykonos comunicou ontem que a pulseira de acesso a todas as nove festas do festival, que custava 249 euros, está esgotada.

Captura de Tela 2015-07-15 às 03.58.02.png

Se estiver sonhando em vir, será um prazer recebê-lo na The Mansion em Mykonos. Além de ter sua pulseira garantida no pacote, pepetindo o grande sucesso do ano passado --quando 28 hóspedes de 11 países curtiram o festival na melhor casa da ilha--, oferecemos pacote a partir de 1000 euros que inclui:

7 dias de hospedagem numa mansão super cômoda e bem localizada, transportes ao aeroporto, jantar grego de boas-vindas, café da manhã e bebidas não-alcoólicas durante toda a estadia, acesso de cinco dias a uma das melhores academias de ginástica da ilha e, principalmente a possibilidade de conhecer e interagir com os outros hóaspedes da Mansão, de várias partes do mundo.

Como opcionais, temos aluguel de carros e passeios turísticos na ilha a preços bastante competitivos. Mais detalhes e reservas aqui: http://bit.ly/1QncKIm

Saiba mais sobre o XLsior: http://www.xlsiorfestival.com/

 

10 festas que você não pode perder na vida! [10]

Diogo Marques

O México já figura na lista dos 10 países mais visitados do mundo há alguna anos, e motivos há de sobra: diversidade geográfica (Oceano Pacífico e Atlântico, selva ao sul, deserto no Norte e por aí vai), culinária das mais deliciosas do mundo, história riquíssima e cultura idem, clima ameno durante todo o ano em várias partes do país. A lista de predicados é longa.

Há 5 anos, o país cada vez mais aberto aos gays também viu surgir um festival para o público em uma de suas praias mais bonitas: Playa del Carmen. É neste paraíso do Caribe que acontece uma das 10 festas que você tem que ir na vida.

[9]  Arena

Não é preciso muito esforço para convencer alguém a visitar Playa del Carmen, um lugar paradisíaco na Riviera Maya, a uma hora de Cancún, no Sudeste do México. Playa é menos famosa e tem um clima muito mais relaxado que a vizinha, conhecida por seus mega resorts, mas tem mais encantos e mais charme que a cidade conhecida por receber milhares de estudantes americanos durante o Spring Break.

amigos curtem uma das festa do Arena. Os cenários são alucinantes

amigos curtem uma das festa do Arena. Os cenários são alucinantes

O azul turquesa da água onde todos sonhamos mergulhar um dia, a areia branca que vemos em postais e queremos tocar um dia, as ruínas históricas da civilização maia que ocupou a região por séculos, a simpatia de um povo sempre sorridente e cortês. Playa é um encanto.

Se a natureza e o entorno ajudam muito a que você pense em visitar a esse balneário, a existência do Arena definitivamente é mais um motivo para vir.

> Leia também: Festival EPICA em Porto de Galinhas é novidade no calendário de festivais gays do Brasil

> Leia também: Festival  na Grécia em agosto é o mais desejado

ruínas maias cerca de Playa del Carmen

ruínas maias cerca de Playa del Carmen

Entre o final de janeiro e o começo de fevereiro, por seis dias, festas em locais alucinantes -- ao pé da areia ou em discotecas com decoração entre o kitsch e o chique --, comandadas pelo anfitrião Isaac Escalante, um dos djs mais famosos e da cena gay; ou do dj Paulo, uma das estrelas do tribal mundial, atraem milhares de mexicanos e cada vez mais americanos, canadenses e de países da América Latina (inclusive surpreendentemente muito brasileiros).

As festas acontencem todas umas perto da outra, e é facilmente possível mesclar uma programação de tuntz-tuntz com passeios e clima mais relaxado. É certamente um destino que você tem que anotar na sua agenda.

Ficou com vontade? Saiba que nós da The Mansion seremos por segunda vez uma fas hospedagens oficiais do festival. Em 2015, reunimos 25 pessoas de 7 países numa das melhores edições do projeto (veja as fotos aqui).

Quer ser avisado sobre o pacote para o Arena 2016?  Envie-nos um email para themansionexperioence@gmail.com com o título Arena que o retornaremos assim que o tivermos disponível.

Participantes da The Mansion curtem um dia de turismo juntos. Em 2013, The Mansion está de volta.

Participantes da The Mansion curtem um dia de turismo juntos. Em 2013, The Mansion está de volta.

Saiba mais sobre The Mansion aqui

Saiba mais sobre o Arena aqui

10 festas que você não pode perder na vida! [9]

Diogo Marques

Os canadenses não são conhecidos exatamente por ser um povo festeiro. Mas é no segundo -- e gelado -- maior país do mundo onde acontece uma das  maiores, melhores e mais antigas festas do circuito gay mundial.

[9]  BLACK & BLUE

Em 1991, quando a epidemia de AIDS asombrava o mundo pela matança repentina de milhares de pessoas, na cidade de Montreal, no Canadá, criou-se uma das primeiras circuit parties do mundo: Black & Blue. O nome é uma referência ao dress code, obrigatoriamente azul ou preto. O e o objetivo desde o começo é claro: levantar fundos para combater a doença, ou amenizar a dor dos pacientes, hoje menos aguda que há duas décadas.

> Leia também: Festival EPICA em Porto de Galinhas é novidade no calendário de festivais gays do Brasil

> Leia também: Festival  na Grécia em agosto é o mais desejado

Quase 25 anos depois, com toda a experiência e grandeza alcançada ao londo do caminho, o Black & Blue se transformou em algo muito maior: uma semana de eventos sociais, culturais, esportivos e festas gigantecas que atraem ao todo mais de 70 mil pessoas de todo o mundo.

 

Main Party do festival é uma das maiores festas gays do mundo

Main Party do festival é uma das maiores festas gays do mundo

O 25 aniversário do festival acontece na primeira quinzena de outubro. Acesse a página do Black & Blue e saiba mais: http://bbcm.org/en/

Gostou? Saiba que você também pode saber quais são as outras festas já listadas nos posts anteriores.

10 festas que você não pode perder na vida! [8]

Diogo Marques

Miami é um dos principais destinos internacionais dos brasileiros, principalmente atraídos pelas compras em uma cidade de gente amigável e calor o ano inteiro, com temperaturas em torno de 25C. South Beach (cohecida como Sobe), a zona sul de Miami Beach, também se tornou destino obrigatório para gays e lésbicas que fogem do inverno dos EUA e da Europa. onde há muitos gays há muitas festas. Uma delas é uma das que você tem que ir na vida.

[8]  Winter Party
Criada em 1994 para conscientizar a população gay sobre a AIDS e levantar fundos para cuidar dos infectados, a Winter Party em Miami faz bem seu papel: festas lotadas -- muitas delas esgotadas -- garantem uma arrecadação milionária ao festival. Segundo a organizaão, cerca de 10 mil locais e turistas frequentam a "Festa do Inverno"  a cada ano.

> Leia também: Festival EPICA em Porto de Galinhas é novidade no calendário de festivais gays do Brasil

> Leia também: Festival  na Grécia em agosto é o mais desejado

Amigos curtem a festa principal da Winter Party

Amigos curtem a festa principal da Winter Party

Para os que vêm, muitas festas: você pode curtir uma pool party num hotel maravilhoso ou uma celebração na areia da praia para mais de 4 mil locais e turistas de muitíssimos países, entre outras em discotecas famosas em todo o mundo -- como a mítica SPACE e a gigantesca Mansion.

Space, uma das discotecas mais famosas do mundo

Space, uma das discotecas mais famosas do mundo

As entradas às festas não são baratas, -- a da praia, por exemplo, chega fácil a 100 dólares--, mas vale a pena: além de ajudar a uma causa, são todas bem produzidas e têm no comando djs estrwlas da cena gay do mundo.

Em 2016, em sua vigésima segunda edição, a Winter Party acontece durante seis dias, entre entre dois e sete de março. Será o suficiente para você se apaixonar e querer voltar.

Detalhe: extremamente organizados e americanos no sentido de fazer negócios, os organizadores do festival já divulgarem o hotel oficial e muito em breve devem lançar o primeiro lote de venda de pulseiras. Acesse www.winterparty.com e fique por dentro das novidades do festival.

Gostou? Saiba que você também pode saber quais são as outras festas já listadas nos posts anteriores.

Porto de Galinhas, a praia que você tem que visitar ao menos uma vez na vida

Diogo Marques

Entre 30 de outubro e 2 de novembro, Porto de Galinhas vai receber gente do Oiapoque Ao Chuí e estrangeiros de vários países para curtirem juntos ÉPICA, o mais novo festival de música eletrônica do Brasil (saiba tudo aqui).

Além de pool parties à beira-mar, festas noturnas e afterhours comandas por djs queridos no Nordeste, estrelas nacionais e uma atração internacional, haverá muitas opções de turismo e lazer para quem quiser desbravas o entorno. Prepare-se para passear de buggies puxados por música eletrônica por algumas das praias mais bonitas da região, velejar de jangada para ver um criadouro natural de cavalos-marinhos, curtir um pôr do sol alucinante num braço de rio na vizinha praia de Maracaípe, e mergulhar de cilindro pelas piscinas naturais da praia para ver peixes de váris formas e cores.

A escolha de Porto de Galinhas para receber o ÉPICA tem um motivo simples. Porto foi eleita 11 vezes consecuitivas a melhor praia do Brasil e é o quinto destino turístico do país. Conheça cinco motivos e curiosidades que dão razão ao título:

1. A voz do povo

Por onze anos consecutivos, os leitores da revista Viagem & Turismo, a mais importante do Brasil no segmento, elegeram Porto de Galinhas como a melhor praia do país. A areia fina e branca, coqueiros a perder de vista, piscinas naturais com água quentinha e cristalina (marcas registrada do balneário, a ótima estrutura hoteleira (Ipojuca, o município onde fica Porto de Galinhas, tem 13 mil leitos de hotel), a simpatia dos locais que sempre recebem os turistas com um sorriso no rosto e a culinária diversa e deliciosa do lugar também apareceram na melhores coisas da praia segundo os votantes.
 


2. As piscinas naturais
Em toda a extensão da costa de Porto de Galinhas existe um espetáculo natural que vira no principal atrativo turístico do lugar: os recifes ao longo da costa formando piscinas naturais de águas cristalinas a poucos metros da praia, o que de acordo com as marés tendem a ser povoado por peixes coloridos que ficam presos até a maré encher de novo.
As piscinas naturais de Porto de Galinhas permitem a experiência inesquecível de fazer mergulho com cilindro ou snorkeling em um cenário perfeito e com total segurança, atividades que ofereceremos no opcionais no festival.

enotel-porto-de-galinhas_020.jpg

3. A história do lugar
“Galinhas” como nome tem uma história. Como você passear pelas áreas centrais e turísticas da cidade, vai encontrar muitas figuras de grande tamanho da famosa “galinha de Porto”, com as quais os turistas não perdem oportunidade para tirar fotos.
Mas a Galinha de Porto tem uma história um pouco menos feliz… Em meados do século XIX, o lugar era um porto onde desembarcavam escravos clandestinos trazidos da África para trabalhar nas plantações de cana de açúcar da região. Uma maneira de contornar a proibição de traficar escravos foi “disfarçar” os navios que chegavam da África como transporte de galinhas-d’angola. Quando os traficantes chegavam a Porto com seus navios carregados com escravos eles falavam que tinham chegado as “galinhas no porto”.

4. O clima delicioso o ano inteiro
Se o ano todo a temperatura média de Porto de Galinhas não varia entre 25 e 28 graus, de setembro a janeiro (lembre-se que o ÉPICA acontece dentro deste período) quase nunca chove, sendo melhor período para visitar esse pedaço do paraíso.
5. Mil formas de aproveitar o mar
Em Porto de Galinhas tudo gira em torno do mar, e a variedade de praias e costa permite encontrar um lugar para todos. Praias calmas, com ondas agitadas -- um paraíso do surf --, recifes para mergulhar, regiões onde fazer kite surf e caiaque. Você pode realizar passeios de catamarã e chegar a praias vizinhas. Em Porto, o mar sempre está para peixe.

 

 

10 festas que você não pode perder na vida! [7]

Diogo Marques

De acordo com a tradição, o ano novo na Tailândia acontece no dia 13 de abril. Para celebrá-lo e deixar tudo que não saiu tão bem para trás, os tailandeses literalmente se lavam e se molhar, sinais de renovação. Por três dias, locais e turistas saem  às  ruas para brincar de guerra e molhar as outras com bexigas e armas de brinquedo. Se estiver planejando uma viagem pra esse que é um dos países mais visitados do mundo, tente ir nessa época, quando também acontece a maior celebração gay da Ásia e nossa sétima na listas de 10 festas que você tem que ir na vida!

 [7]  Songkran

Á primeira vista pode parecer inusitado, já que pouco ouvimos falar de festas grandes na Ásia, mas durante três dias milhares de gays de região mais populosa do planeta e turistas de várias partes do mundo (australianos entre os primeiros) aterrissamem Bangkok para curtir o Songkran, o festival de três dias que celebra o ano novo no país. São cinco festas, entre as quais três noturnas e duas pool parties que não deixam a desejar em estrutura e produção para nenhum festival europeu, inclusive com um line-up de estrelas do circuito gay do mundo,

> Leia também: Festival EPICA em Porto de Galinhas é novidade no calendário de festivais gays do Brasil

> Leia também: Festival  na Grécia em agosto é o mais desejado

As festas noturnas acontecem no vigésimo segundo andar do centro de convenções da cidade, com vistas espetaculares e as pool parties no espaço que voc%e pode ver abaixo. É sem dúvida, ao mínimo pelo inusitado, uma das dez festas gays que você tem que ir na vida.

Pool party principal do festival: mais de 2 mi turistas do mundo inteiro

Pool party principal do festival: mais de 2 mi turistas do mundo inteiro

Mais infos: http://songkran2014.com/

ps.: as infos para o festival de 2016 ainda não estã disponíveis.

10 festas que você não pode perder na vida! [6]

Diogo Marques

A Austrália sempre aparece na lista de destinos dos sonhos da maioria das pessoas. O país do outro lado do mundo e tamanho continental, como o nosso, é sempre relacionado a notícias boas, e seu povo conhecido por prezar por uma boa saúde e bem-estar. É em Sydney, a maior e mais cosmopolista cidade do país (não é a capital, que é Camberra), onde vivem 5 milhões de pessoas do mundo inteiro, que acontece uma das festas gays que você tem que ir na vida

 [6]  Sidney Mardi Gras

O Sydney Mardi Gras é o maior festival LGBT da Austrália, e um dos maiores do mundo. São de 2 semanas de muita festa nas ruas e em boates; eventos culturais, de oficinas de literatura ou sessões de cinema, e sobretudo da luta pelos direitos da comunidade LGBTQI. É o evento australiano mais próximo do nosso carnaval, mas com cidadania envolvida.
Além de ser muito divertido engraçado e super interessante,  segundo os que já foram, o festival é aberto ao público, com algumas áreas e eventos pagos.

> Leia também: Novo Festival Gay de música eletrônica no Brasil

> Leia também: Festival  na Grécia em agosto é o mais desejado


O desfile, similar ao de uma Escola de Samana, reúne mais de 10 mil desfilantes e 200 mil pessoas nas ruas da cidade. Carros alegóricos, purpurinas e gente linda celebrando a vida dão o tom.

Também há festas homéricas em boates, com top djs do mundo, e muitos corpos esculturais. A fauna é extensa: de asiáticos de passar mal a loiros dignos de passarela, ou negros lindíssimos.

Em 2016, na sua trigésima oitava edição (!!!) o Mardi Gras acontece de 19 de fevereiro a 6 de março. A Parada acontece no dias 5.

Mais infos:
http://www.mardigras.org.au/

 

10 festas que você não pode perder na vida! [5]

Diogo Marques

Sabemos pouco sobre israel, e infelizmente nossas primeiras lembranças sobre o país remetem às guerras que aprecem intermináveis e ao sofrimento sofrido pelos judeus no holocausto. Mas Israel, claro, também tem muita história (e quanta História!) boa para contar. Terra de um povo altamente empreendedor e colaborador com os avanços em vários setores da humanidade -- da criação de programas de tv que se replicam pelo mundo inteiro ao desenvolvimento tecnológico hospitalar, por exemplo-- Tel Aviv, a capital do pedaço de terra menor que Sergipe, é palco de uma das 10 festas gays que você tem que ir na vida.

[5] Parada Gay de tel Aviv

Por 10 dias (!!!), no começo de junho, Tel Aviv é o epicentro gay do mundo. É quando a meca-gay do Oriente-Médio é invadida por gente de toda a Europa, e cada vez mais de outros continentes, para celebrar a vida em atos artísticos, culturais e festas por todos os lados durante a semana da sua Parafa Gay. Cidade cosmopolita, jovem e cheia de vida-- cuja orla lembra muito a de Ipanema, no Rio de Janeiro--, Tel Aviv recebe muito bem os forasteiros. Pode ter certeza,  não há clima de tensão no ar, como podem supor alguns diante do acirramento com os vizinhos da Palestina.

continue lendo

Hilton Beach, a praia gay

Hilton Beach, a praia gay

Minha (escritor do blog) primeira vez em Tel Aviv

Minha (escritor do blog) primeira vez em Tel Aviv

A Forever Tel Aviv, maior selo de festas gays de Israel, organiza seu festival de cinco dias em várias boates da cidade. Você verá sem dúvida algumas das pessoas mais bonitas e sexy da sua vida. Ah. os isrealenses...

> Leia também: Novo Festival Gay de música eletrônica no Brasil

> Leia também: Curta o XLsior Mykonos 2015 com ainda mais diversão e exclusividade

Offer Nissim (ouça aqui o novo set do artista), o dj mais aclamadado da cena gay, faz sempre uma apresentação apoteótica no período. Neste ano, foi num estádio de futebol!


A Parada mesmo, numa sexta-feira, na orla da cidade, é linda e termina com um espetáculo na areia de Hilton beach, a praia gay de Tel Aviv.

Além de curtir festas num cenários deslumbrantes, você tem chance de dar um pulo em Jerusalém, conhecer o Mar Morto, entre tantos outros passeios. Vai amar!

Gostou da dica? Compartilhe!

10 festas que você não pode perder na vida! [4]

Diogo Marques

O Carnaval no Brasil é sem dúvida uma das festas mais democráticas, animadas e divertidas do mundo. Os quatro dias de festas --que geralmente se estendem a seis-- são para grande parte dos brasileiros os mais esperados e felizes do ano, e para os estrangeiros um dos principais motivos para visitar o nosso país.
Para os gays, reconhecidamente mais festeiros que a média da população, o Carnaval além de tudo é uma festa para fazer amigos. Muitos amigos.


A concentração gay é alta em qualquer lugar onde se comemora a festa da carne. Na Bahia, atrás do trio-elétrico de Ivete Sangalo, ou de Daniela Mercury; em Olinda, na famosa Rua 13 de maio; no Recife Antigo, na Rua da Moeda; no Rio de Janeiro, principalmente atrás dos bloquinhos de Ipanema. A lista de festas festas e locais é longa, e uma delas entra na lista das que você tem que ir uma vez na vida.

[2] Carnaval eletrônico em Florianópolis

Para os seguidores da música eletrônica, desde 2009 Florianópolis é o lugar para estar no Carnaval. De lá para cá, o Carnaval da lindíssima cidade é sonho de consumo de 10 em cada 10 baladeiros do Brasil, e cada ves mais dos festeiros do mudno. A responsável é a The Week, a mais famosa boate gay país, que de forma visionária começou a realizar seu Carnaval na Ilha no final da década passada.


Não faltam ingredientes para o povo amar Floripa: natureza exuberante, praias lindas, moradores educados e receptivos aos gays, sensação de segurança acima da média brasileira e, principalmente, o encontro casual com boa parte dos homens mais bonitos do mundo.

A The Week, como disse, faz sua parte: se a estrutura noturna da boate ainda pode melhorar, o bar da praia, palco de suas sunset parties, deixa lembranças para toda a vida. Milhares de pessoas no deck, na areia, no mato, curtindo o Carnaval como se não houvesse amanhã nos fazem lembrar na quarta-feira de cinzas: ano que vem tem mais.


ps.: para você que ama o Carnaval, duas notícias: o domingo de Carnaval será em 7 de fevereiro em 2016. Já o Carnaval da The Week em Floripa ainda não está confirmado. Claro que avisaremos no blog assim que soubermos de novidades.

 

10 festas que você não pode perder na vida! [3]

Diogo Marques

A Grécia está no mapa de turismo no mundo por vários motivos, entre os quais a curiosidade de muita gente em conhecer melhor o berço da civilização Ocidental moderna e também de se esbaldar em algumas de suas ilhas, entre as mais bonitas do mundo. Desde 2009, Mykonos, uma ilhazinha ao sul do país, começou a entrar no mapa dos festeiros gays do planeta graças a um festival que não para de crescer. É uma des festas que você não deveria perder na vida.

[2] XLsior Mykonos

Um cenário espetacular para onde se olhe, com casinhas e mansões brancas em montanhas secas rodeadas por um mar azul escuro.

Além do visual, festas em algumas das boates votadas como top 10 do mundo (como o Cavo Paradiso, discoteca com mega estrutura com uma piscina no meio e um dos amanheceres mais deslumbrantes do mundo)

Cavo Paradiso

Cavo Paradiso

e outras em locações quase na areia da praia e pronto: você visualizará o festival XLsior. Este ano entre 19 e 23 de agosto, o festival também tem em seu line-up estrelas da cena eletrônica gay, como o dj Abel, e uma reunião de gente linda (uma parte considerável do Oriente Médio) que vai deixá-lo de quiexo caído. Com todos esses ingredientes, o XLsior é talvez o festival gay mais desejado da Europa.

Se estiver sonhando em vir, será um prazer recebê-lo na The Mansion em Mykonos. Repetindo o grande sucesso do ano passado,

Pool party na The Mansion Mykonos

Pool party na The Mansion Mykonos

oferecemos um pacote a partir de 1000 euros que inclui: 7 dias de hospedagem numa mansão super cômoda e bem localizada, pulseira de acesso a todas as festas (valor 249 euros), transportes ao aeroporto, jantar grego de boas-vindas, café da manhã e bebidas não-alcoólicas durante toda a estadia, acesso de cinco dias a uma das melhores academias de ginástica da ilha e, principalmente a possibilidade de conhecer e interagir com os outros hóaspedes da Mansão, de várias partes do mundo.

Como opcionais, temos aluguel de carros e passeios turísticos na ilha a preços bastante competitivos. Mais detalhes e reservas aqui: http://bit.ly/1QncKIm

Saiba mais sobre o XLsior: http://www.xlsiorfestival.com/

Musculosos, ursos, passivos, garotos de programa: veja um divertido (e apócrifo) mapa gay da Europa

Diogo Marques

Há poucos dias, compartilhamos um post sobre onde é melhor ser gay na Europa. É um ranking produzido anualmente pela A ILGA (Associação Gay, Bissexual e Transgênero) com os países onde os direitos civis (como o casamento e adoção , por exemplo) gays são mais parecidos aos dos héteros  e onde a sociedade e liderenças públicas menos têm preconceito. Você pode ver os detalhes e onde é melhor ser gay na Europa aqui.

Hoje dividimos com vocês outro mapa gay europeu, desta vez muito mais divertido, mas sem autor: o dos tipos físicos e fetiches de cada país do Velho Continente.

O mapa, é claro, é uma brincadeira cheia de esteriótipos. Ou, pensando bem, até que retrata bem a realidade rs.

E você, o que achou?

Ps.: amanhã seguimos com o ranking sobre as 10 melhores festas do mundo

10 festas que você não pode perder na vida! [2]

Diogo Marques

Ontem comecei a escrever sobre as 10 festas que mais gostei de ir na vida. A primeira foi o Circuit Barcelona (veja aqui). Hoje, conto um pouco sobre a semana da Parada Gay em Madri.

[2] Parada Gay de Madri

Shows ao ar livre, arte, cultura, um pouco de política, esportes e festas. Muitas festas lotadas de homens lindos do mundo inteiro. A semana da Parada Gay de Madri (de 1 a 5 de junho este ano) é uma das manifestações mais bonitas, divertidas e grandiosas que já vi. Na primeira vez que estive aqui durante o período, em 2012, sem saber exatamente da dimensão do que viria, lembro-me ter chorado várias vezes de emoção ao ver e sentir tanta energia junta.

A cidade se veste de arco-íris, sem exagero. Bandeiras nas fachadas dos prédios, nos carros, em estabelecimentos comerciais, começam a dar o clima uma semana antes do desfile, que aqui acontece sempre num sábado -- este ano no 4 de julho -- por algumas das ruas mais importantes da cidade.

Se no Brasil a minha impressão é que muitos de nós fugimos do desfile --que aqui chamam de Marcha ou de Manifestación--, na Parada de 2 milhões, a maior e mais importante da Europa, todo mundo vai: gays lindos e com corpos espetaculares que frequentam a balada da moda (muitos, por todos os lados!!!), modernos, ursos, vítimas do pop, lésbicas lindíssimas ou nem tanto e, principalmente, famílias inteiras e crianças, dando um ar de mundo perfeito ao ato.

As pessoas acompanham o desfile do chão, das sacadas do prédio ou em cima dos mais de 20 trios elétricos que celebram a igualdade com muita música, pricipalmente eletrônica. Imperdível!


Mas a Parada não é só o desfile. Por cinco dias, há festas gigantescas por toda a cidade, sendo destaque as produzidas pelo grupo WE Party, selo de Madri presente em todo o mundo. Pool-parties, festas noturnas em casas de show emblemáticas, como Fabrik (a maior da Europa) e La Riviera (palco de dezenas de show históricos) e até em estádios dão o tom da grandeza. Quer uma dica: venha!!!

Mais infos: http://www.madridorgullo.com/

We Party: http://www.wepartyontour.com/

10 festas que você não pode perder na vida!!!

Diogo Marques

Festas e festivais gays se multiplicam mundo afora. Nos próximos dias, aproveitando a chegada do verão no Hemisfério Norte, compartilho algumas festas na parte de cima do mundo que acho você não pode perder na vida!

1- Water Park, Circuit Festival
No auge do verão europeu, durante o Circuit Festival -- o maior festival gay do continente, que acontence entre 5 e 16 de agosto (12 dias!!!) em Barcelona --, uma festa brilha: o Parque Aquático. O protagonismo tem explicação: produção bem cuidada e cheia de surpresas, line-up potente com shows ao vivo, piscinas e brinquedos de todos os portes para relaxar ou namorar entre uma música e outra, e principalmente a presença de milhares de homens lindos de todo o mundo (sem exagero!). Com certeza você vai se divertir como poucas vezes na vida.

> Leia também: Festival EPICA em Porto de Galinhas é novidade no calendário de festivais gays do Brasil

> Leia também: Festival  na Grécia em agosto é o mais desejado

Parque Aquático 2014. Mais de 70000 curtiram alguma das festas do festival

Parque Aquático 2014. Mais de 70000 curtiram alguma das festas do festival

Neste ano, a festa acontence no dia 11 de agosto, terça-feira, a partir das 10h. A celebração no parque termina por volta das 22h, quando segue num estádio fechado vizinho à instalação. As entradas custas 40 euros (cerca de R$ 150)  para a festa diurna e 70 euros para ambas. Mais infos e compras de entradas no site www.circuitfestival.net

Assista ao vídeo oficial do Circuit 2015:

Assista ao review do Parque Aquático 2014:

Amanhã, a Parada Gay de Madri, a número dois da minha lists

Precisando de inspiração para uma escapada de fim de semana? Tenho uma idéia...

Diogo Marques

Sempre há destinos de viagem surpreendentes bem pertinho da gente, mas parece que nos falta coragem de nos atirararmos ao desconhecido, ou ao que não está na moda. Prezamos por certezas, e assim perdemos aventuras que costumam ser inesquecíveis.

Há um lugar pertinho de nós que adorei quando, em 2007, resolvi por pura curiosidade dizer "OI " e sugiro que você conheça: o Uruguai.

Menor país da América do Sul (do tamanho do Paraná), é o maior da região no que se refere aos direitos gays. Ter atração por alguém do mesmo sexo deixou de ser desvio sexual no país em 1934. No Brasil, por exemplo, isso aconteceu em 1985. O casamento homoafetivo foi legalizado em 2013, enquanto na maioria da região nem entrou na pauta legislativa.

O clima relaxado, bucólico e seguro em Montevidéu, a capital onde vivem 1,8 milhão de pessoas (a metade do país de 3,5 mi), parece um oásis se comparado ao caos da maioria das capitais latinoamericanas. O povo é extremamente educado e cortês, além de para mim um dos mais lindos do mundo. Tome sexy-appeal! Come-se maravilhosamente bem. Destaque, claro, para a carne macia a qual se segue um doce de leite maravilhoso.
Parênteses: acho o Uruguai um lugar perfeito para ir namorando, sem pressa, sem pretensão de ver monumentos, mas respirar um ar puro, assistir um pôr do sol lindíssimo ou simplesmente deixar a vida passar. É intimista.
Se estiver pensando em visitar a capital, sugiro que vá em setembro, quando eu fui. É o "mês da diversidade", quando a cidade tem uma intensa programação gay-friendly.

Montevidéu

Montevidéu

Se tiver mais de 3 noites, na minha opinião tempo razoável para bisbilhotar Montevidéu, sugiro passar por Colônia, uma cidade histórica lindíssima e muito importante para a História do país.
Se quiser curtir festas na boas na cia de gente do mundo inteiro em discotecas onde tocam djs-estela, não deixe de passar por Punta del Leste, balneário mega estruturado e com hotéis voltados 100% ao público gay.

Seja qual for o roteiro, não deixe de ir. GOL e TAM costumam ter ótimas promos com milhas reduzidas,  às vezes 7 mil o trecho, para voar ao pequenino vizinho.

Antes de embarcar, sugiro dê uma olhada neste site.

Buen viaje!

Onde ser gay é melhor na Europa

Diogo Marques

Pensando em dar um giro pela Europa ou mesmo morar ou estudar no Velho Continente? Saiba quais os países mais gayfriendly da região antes de fazer as malas.

Vladimir Putin, o homofóbico presidente russo

Vladimir Putin, o homofóbico presidente russo

A diversidade histórica, cultural, social e econômica da Europa também se manifesta em relação aos direitos alcançados pelos gays no espaço onde vivem 731 milhões de pessoas, ou cerca de 11% da população mundial.
Se ao visitar países como a Rússia, onde o turista deve estar alerta ao entrar ou sair de locais gays, já que agressões homofóbicas são constantes; em outros, como a Dinamarca, o casamento gay é realidade desde 1989.
No último 17 de maio, durante um fórum no Dia Internacional contra a Homofobia e Transfobia (discriminação relativa às pessoas transexuais e transgêneros) e Bifobia, A ILGA (Associação Gay, Bissexual e Transgênero) Europa apresentou o "Mapa Arco-Íris" do continente, que revela o nível de equidade entre gays e héteros. O ranking tenta medir como as ações dos governos impactam na vida dos gays levando em conta direitos civis e de família, se há discursos contrários aos gays proferidos por líderes políticos, liberdade de expressão gay, entre outros. As cores de cada país indicam uma escala de 0% (altíssimo grau de violência) a 100% (igualdade total entre homos e heteros).

Se o lugar da Rússia entre as últimas posições do ranking não causa surpresa, a ascensão de Malta, um país pequenininho embaixo da bota do mapa da Itália, ao terceiro posto (oito a mais do que em 2014), é animadora.
O resultado, diz a pesquisa, foi porque o país avançou bastante nas leis de igualdade em 12 meses (veja aqui os avanços).
Que tal apoiar o lindíssimo país e considerá-lo como um dos seus destinos europeus?

ps.: apesar de tantas diferenças de igualdade entre os países, vale lembrar que A Europa foi pioneira em diversas conquistas gays. A Suécia foi o primeiro país a legalizar a homossexualidade, em 1944; a Noruega o primeiro a pôr em prática leis anti-discriminação de cunho especificamente sexual, em 1981; e os Países Baixos têm a população mais tolerante no que diz respeito à homossexualidade do mundo, para citar algumas conquistas.

Veja o ranking completo:

1. Reino Unido 86%

2. Bélgica 83%

3. Malta 79%

4. Suécia 72%

5. Croácia 71%

6-8. Espanha, Países Baixos, Noruega 69%

9. Dinamarca 68%

10. Portugal 67%

11. França 65%

12. Islândia 63%

13. Finlândia 62%

14. Alemannha 56%

15. Áustria 52%

16. Hungria 50%

17. Montenegro 46%

18. Luxemburgo 43%

19. Albania 42%

20. Irlanda 40%

21. Grécia 39%

22. Geórgia 36%

23. República Checa 35%

24. Estônia 34%

25. Eslovênia 32%

26. Andorra 31%

27-29. Eslováquia, Sérvia, Bósnia y Herzegovina 29%

30-31. Romênia, Suíça 28%

32. Bulgária 27%

33. Polônia 26%

34. Itália 22%

35-36. Liechtenstein, Lituânia, 19% 

37-39. Letônia,  Kosovo, Chipre 18%

40. Moldavia 16%

41-42. Bielorrusia, San Marino, 14%

43. República de Macedonia 13%

44. Turquia 12%

45. Mônaco 11%

46. Ucrânia

47. Armênia 9%

48. Rússia 8%

49. Azerbaijão 5%

Para ler o relatório completo do mapa gay da europa clique aqui

XLsior Mykonos começa a vender pulseiras; preços vão de 249 a 2500 euros

Diogo Marques

Um dos festivais gays que mais atraem público no verão europeu, o XLsior Mykonos (Grécia), iniciou hoje a venda de pulseiras  às suas nove festas, que acontecem neste ano de 19 a 23 de agosto.

Os preços variam de 249 euros para a pulseira regular, que basicamente dá acesso a todas as festas; a 2500 euros para a pulseira platinum, que inclui mimos como transportes a todas as festas e guarda-costas durante o período de diversão. Entre as dias, há a pulseira VIP de 499 euros.Vale a pena correr e garantir a sua (principalmente regular), já que o acesso a todas as festas sempre se esgota antes do festival.

Lembre-se que se hospedando na The Mansion Mykonos você garante sua pulseira e vive o festival de uma maneira muito mais divertida e exclusiva, fazendo amigos de várias partes do mundo e tendo apenas o trabalho de se divertir.

Para comprar sua pulseira clique aqui.

Para garantir seu lugar na The Mansion, clique aqui.

Já ouviu? Offer Nissim lança seu set do ano!

Diogo Marques

Como fez ano passado, lançando seu set durante a Parada Gay de Tel Aviv --que aconteceu hoje e do qual é a maior estrela --, o dj israelense Offer Nissim divulgou seu show de 1h06min. Com batida lenta predominante, mudança de ritmo repentina, latinidadades  e muita conversa no meio, o set tem agradado bastante os seguidores do artista no Soundcloud. E você, o que achou?

https://soundcloud.com/offer-nissim/offer-nissim-this-is-pride-2015-podcast